Uma certa dúvida

Olá leitores. Este tema não tem tanta repercussão, mas decidi escrever sobre ele, pois se trata de um conceito econômico. Ontem li uma notícia na internet que parece ser contraditória: “aumentou o número de empregados e desempregados no Brasil”. Alguns leitores acharam até engraçado, mas isso realmente pode acontecer, é só uma questão de conceito.

Se o emprego aumentar, o desemprego pode aumentar também

Quando é feita uma pesquisa sobre o número de empregados no país, o entrevistador lhe perguntará se você está empregado e recebendo alguma renda. Se sim, você está no hall dos “empregados”. Se não, você pode não ser considerado desempregado. A questão é que existem alguns tipos de “desemprego”.

Se você responder que está sem trabalho e não está procurando emprego, você não é considerado desempregado. Isso mesmo, sabe por quê? Porque você está fora da força de trabalho. Tal fenômeno ocorre quando a economia vai mal. Por exemplo: uma crise em um setor faz com que as empresas demitam grande parte de seus empregados. Estes funcionários vão à procura de outro emprego, mas não acham nenhum compatível, e assim, desistem. Você pode pensar que estes trabalhadores estão desempregados, mas não estão. Por quê? Porque não estão na força de trabalho, sendo chamados de trabalhadores desalentados.

Diferentemente, quem foi demitido e continua firme e forte à procura de trabalho está sendo contado como desempregado. Aqui vai mais um tipo de desemprego, o estrutural: se este brasileiro vai à procura de emprego, mas não o encontra por falta de qualificação, ocorre o desemprego estrutural, que acontece quando o trabalhador não consegue emprego por falta de qualificação suficiente. É o que ocorre em muitos locais do país, como em Suape por exemplo.

E o pior não é nem isso, mas sim quando mesmo sem qualificação, são contratados, como ocorreu no Estaleiro Atlântico Sul. Há pouco tempo atrás foi construído o primeiro navio, o João Cândido. Mas fizeram um navio tão ruim que ele não conseguia nem flutuar. Isso mesmo leitores, um navio que não flutua. Chega a ser vergonhoso. Mas isso não é o tema deste post.

Voltando à notícia, como o emprego e o desemprego podem aumentar ao mesmo tempo? É bem simples. As demissões ocorreram por causa de uma crise no setor, mas esse setor voltou a crescer, fazendo com que os trabalhadores que estavam à procura de emprego (desempregados de fato) fossem admitidos. Mas como aumentou o número de desempregados?? Lembre-se do conceito de desemprego (desempregado é aquele que está à procura de emprego).

Com a volta das contratações, os trabalhadores que estavam fora da força de trabalho sentiram um incentivo de voltar à procura. Com isso, eles voltaram à força de trabalho, mas ainda sem emprego, sendo contabilizados como desempregados. Enfim, chegamos ao corolário: é possível aumentar o emprego e o desemprego ao mesmo tempo.

Caíque Melo

Anúncios

Deixe seu comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s