Dragão Brasileiro

Há algum tempo foi realizada uma pesquisa sobre o maior medos dos brasileiros. A inflação venceu arrasadoramente. Mas o que cerca este tema que é tão conhecido dos brasileiros? Primeiramente, vamos saber qual o significado de inflação.

Inflação ocasiona a perda do poder de compra
A inflação ocasiona a perda do poder de compra

A inflação é o aumento contínuo de preços de bens, produtos e serviços em uma determinada região durante um período. Ao mesmo tempo em que os produtos se tornam mais caros, o poder de compra da moeda nacional diminui. Quando um país apresenta um período inflacionário, a consequência para o consumidor é a perda do poder de compra, ou seja, o preço de que o indivíduo paga por um produto em um mês já não é mais o mesmo no próximo mês, ou dependendo acentuação do período, no próximo dia.

Inflação no Brasil

A inflação encarece os produtos oferecidos no mercado, além de aumentar a demanda por importações e reduzir as exportações, desequilibrando toda a balança comercial de um País. Tomando como exemplo o período de hiperinflação que ocorreu na economia brasileira inicialmente na década de 60, tivemos índices que chegaram a 40% ao ano. E o pior ainda esta por vir. Na década 80 a inflação chegou a uma média de 330% ao ano, em média, e alcançou a níveis astronômicos entre 1990 1994, chegando a 764%, um verdadeiro caos.

Histórico da Inflação no Brasil (1980-2010)
Histórico da Inflação no Brasil (1980-2010)

Foi apenas a partir de 1994, com a criação do Plano Real, que o Brasil deu os primeiros passos rumo à estabilidade econômica. Era o fim da correção monetária, do congelamento de preços e da inflação acima de dois dígitos. Em 1999, o Banco Central adotou um sistema de metas para a inflação, usado até hoje. Com este sistema,o BC toma as medidas necessárias para manter a inflação nos valores pré-estabelecidos, controlando o grande dragão.

Metas da Inflação (BCB)
Metas da Inflação (BCB)
Variação do IPCA após o Plano Real
Variação do IPCA após o Plano Real

Cálculo da Inflação

Atualmente, a FGV, o IBGE), a Fundação Instituto de Pesquisas Econômicas (Fipe) e o Departamento Intersindical de Estudos Estatísticos e Socieconômicos (Dieese) são responsáveis pelo cálculo da inflação. O IBGE utiliza o IPCA e o INPC; a FGV calcula o IGP-M, o IPA, o IPC, o INCC, o IGP-DI e o IGP-10; o Dieese contabiliza o ICV. Os índices são baseados nos preços de produtos que compõem uma cesta com itens como alimentos, produtos de higiene, bebidas alcoólicas, entre outro.

Ponderação dos itens para o cálculo da inflação
Ponderação dos itens para o cálculo da inflação

O cálculo da maioria dos índices de inflação no Brasil são baseados na soma da variação de valores de da cesta de produtos, ou seja, em relação ao mês anterior, trimestre, semestre ou ano. É por isso que o índice pode ser divulgado em prévias semanais ou taxas fechadas mensais, depende de sua periodicidade.

Por Caíque Melo

Anúncios

Deixe seu comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s